Rock Para Pequenos

Acho que deu pra perceber o quanto sou apaixonada por livros, né? Então, por música também, e mais ainda se for Rock \m/. Estava perambulando por ai, e vi no blog  Oh! Áurea, o livro ‘Rock Para Pequenos – Um Livro Ilustrado Para Futuro Roqueiros’, escrito pela paulista Laura D. Macoriello.

rock_baby

Se você já é pai ou mãe, ou nenhum dos dois mas não vai querer ver  seu futuro rebento rebolando no ritmo de algum hit do funk carioca ou do sertanejo universitário, você, assim como eu, acaba de ganhar um aliado. O livro apresenta aos futuros jovens leitores, ícones do estilo, como: Angus Young, Elvis Presley, Chuck Berry, David Bowie, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Ozzy Osbourne, Steve Harris, The Beatles, Ramones, Kiss e Rolling Stones.

A autora usa as histórias vividas por grandes nomes do rock como exemplo para educar as crianças. Exemplo: Elvis Presley recomenda cabelos devidamente penteados, David Bowie mostra a importância de respeitar as diferenças, Os Beatles atravessavam a rua na faixa de segurança, Abbey Road, assim Hendrix incentiva a escovação dos dentes, entre outros.

rock1-pagespeed-ce-_dmpidqqik

rock2-pagespeed-ce-iu99mfnwbd

rock-960x539-pagespeed-ce-fndjfxjaoy

As ilustrações são feitas por Lucas Dutra. Ele deu vida e cores aos ídolos escolhidos pela autora, acrescentando detalhes que certamente vão agradar, tanto os pais, quanto os filhos. Pelo menos eu já estou apaixonada por ele. O  livro tem textos curtos e diretos, mostrando as situações que servem de ponto de partida para falar sobre diversos temas com os pequenos.

Beijos,

Maiara

Anúncios

Dica Literária: Harlan Coben

Harlan Coben, um autor americano nascido em Nova Jersey, que escreve livros cheio de mistérios do começo ao fim (e mais um pouco). Seus livros são um quebra-cabeça e quando você acha que está desvendando-o, aparece uma situação que joga tudo por água abaixo, deixando você cada vez mais preso a história. Tipo, o que me surpreende em seus trabalhos é que mais da metade das histórias é um mistério total e o final não fica sem noção, com aquela impressão de que falta alguma coisa. É completo.

Dentre seus livros publicados, os da série Myron Bolitar são os mais famosos (eu quero ler). Eles contam várias histórias da vida de Myron, um jovem formado em direito e sócio de uma empresa que agencia esportistas juntamente com seu amigo Win, o que conheceu ainda na faculdade. E o resto só é possível conhecer lendo os livros do personagem.

Conheci Harlan Coben há pouco e viciei em seus livros. Com o pouco tempo que me resta, tento ler um pouco mais de um seus livros. O ultimo foi ‘Cilada’. Perfeito. Sempre gostei de histórias que envolvem mistérios mal resolvidos, polícia, jornalistas e tal, mas, Cilada veio superou as minhas expectativas. Sem falar na capa do livro que é linda. Sim, ainda julgo alguns livro pela capa. Não por maldade mas é que ela também faz parte da história e acredito que se a capa não atrai, dificilmente vai rolar uma química entre você e o livro.

cilada

A capa é linda ou não é?

A sinopse do livro você pode ler ‘Aqui
Mais sobre Harlan Coben ‘Aqui

PS. Desculpem o sumiço mas é que o tempo resolveu correr em outra velocidade e ainda não acostumei. Mas, logo logo, tudo vai se ajeitar por aqui. Prometo

Beijos,

Maiara

Sobre o prazer de ler você

livro

Naquele café da esquina, de frente pra tua figura esperançosa, poderia ter dito mais do que palavras de inverno, encolhidas de frieza e tremidas dando a luz a frases sem sentido. Mas esse meu não querer, ainda é bem querer. Só não é mais desejar. Assim como aquele livro caro na prateleira da loja, eu te devorei ali mesmo enquanto não podia e no final da tarde não te levei pra casa. Sem frustrações, de certo o li e o decifrei sem gastar nenhum centavo, daí então virei a última página e me retirei da loja satisfeita com a leitura, mas sem vontade de voltar.  Naquela mesma prateleira, ou em outra contendo livros baratos, certo dia me encantei com um que eu pude comprar. O barato eu levei e não li até o final. Parei no sétimo capitulo dos dez, porque certas histórias são melhores quando não terminam e deixam margem para que criemos sozinhos o que antecede o ponto final. Não tenho voltado na livraria, nem tenho relido livros antigos. Apenas me privei da leitura um pouco, como alguém que dá um tempo com um amor antigo. De fato, voltarei aos livros. Dessa vez talvez eu esqueça os dramas e volte meu olhar para comédias e romances de final feliz. E na prateleira da loja alguém há de pagar pelo livro que aproveitei sem comprar.

Quem escreveu o texto? Elba Cynthia, do blog UmBeijoUmQueijo.