Rabiscos

rosa

Hoje eu aprendi a viver sem você. Finalmente. Depois de muitas lágrimas e noites insones, hoje, eu sei viver sem você. Ainda sinto sua falta, não nego,mas a necessidade de te ter por perto não mais existe. Agora é momento de olhar para mim. Te quero bem, muito bem. Na verdade, ainda te quero, mas não te preciso.
A distância me ensinou a te querer e não te ter, e hoje me sinto bem apenas em saber que és feliz, mesmo não sendo eu quem te faz sorrir. Hoje me sinto bem, amanhã eu não sei, não planejei. Vivi de passado por tanto tempo, que esqueci o conceito de futuro. Agora, quero viver o presente, me (re)descobrir sem você; estou (re)aprendendo a caminhar sozinha, confesso, não é fácil, mas é preciso. É hora de me reinventar. Do futuro eu não sei, é inconstante, incerto. Mas hoje, talvez só por hoje, eu sei viver sem você…

Imortal

Não vou lamentar, Eu sempre

disse o que eu sentia…

(D’Hanks – Imortal)

Hoje levo comigo o melhor de ti. Deixo-te em segredo todas as carícias que nunca dei num beijo de despedida. O meu coraçaão cansou-se de pintar tantas vezes o castanho de seus  olhos.

Parti e olhei, ainda olho pra trás, na tua direção. Mas caminhei em frente, comprometida a não entregar mais o coração a quem não aprendeu a amar-me. Tu não te importarás, porque novas aventuras cruzarão os teus olhos e apagarão o meu rastro.

Queria ensinar-te a lidar com a dor que te limita a forma de amar.

Será que estou certa?

Levo apenas teorias formuladas de ti, pensando, talvez errada, que o sofrimento te condiciona o comportamento. Deixo no vento um beijo carinhoso de saudade.

Prometo guardar os teus olhos no melhor da minha alma.

Até um dia, menino dos olhos doce.